domingo, 24 de outubro de 2010

Tudo o que eu não entendo

Hoje está frio, e foi o que bastou para eu me entupir de roupas. E eu me pergunto: Por quê? Sendo que não precisava disso tudo. Mas isto eu sei responder: É simplesmente a falta. Eu não sou uma pessoa acomodada. E se me acomodo, eu canso. Sou inquieta. E por que eu sou assim? Aí está: Eu não entendo.
E quando tudo está às mil maravilhas, e de repente, vem um infeliz e te faz sentir uma massa ambulante? Algumas pessoas têm o dom de deixar outras tristes e fazer tempestade em copo d'água. E faz isso quem quer se sentir superior, por ser de sua natureza a inferioridade. Ou seja, ela só será feliz se ver outra pessoa triste. Ilusão lamentável. E por que isso? Eu não entendo.
Às vezes estou eu indo para a escola, voltando, ou talvez dando uma volta por aí. E, nessa hora, eu não quero olhar para ninguém. Eu quero ficar na minha e só. E por que acham isso estranho? Afinal, se eu sou assim, logo eu sou estranha? Devo ser. Ou então seriam "eles" os ignorantes por não me aceitarem? Algumas pessoas não se importam e aceitam. Já as más línguas... Definitivamente, não entendo.
Mas não é só isso que é um mistério para mim. São diversas coisas, e se não houvessem-as, não teria graça. Pois é tão bom ser exagerada. Tão gostoso me sentir estranha. Inexplicável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário